Melhores do Ano #13 – O momento de 2020!

Mesmo numa época mais curta que o normal e acima de tudo diferente, não faltaram momentos no pelotão que foram grandiosos. De janeiro a novembro houve um conjunto de dias, vitórias ou derrotas que fizeram soar alarmes em todas as redes sociais, fizeram correr tinta nos jornais e deram minutos à modalidade na TV. Não foi fácil escolher os melhores quatro, mas representam talvez os pontos altos de uma época tão diferente como foi a de 2020.

Comecemos então por ordem cronológica.

Primoz Roglic líder do Tour de France desde a Etapa 9, chega ao contrarrelógio decisivo com 57 segundos sobre Pogacar. Uma cronoescalada que no papel favorecia ambos sobre os seus rivais, mas acima de tudo, favorecia Roglic que além de ótimo contrarrelogista, adora subidas ingremes. Por outro lado, Pogacar iria garantir a sua camisola branca e uma 2ª posição no Tour de France. As dúvidas à partida, eram quem venceria, Dumoulin era sério candidato e se Miguel Angel Lopez aguentava o tempo sobre Richie Porte e fechava o pódio em Paris. Mas tudo mudou, Tadej Pogacar fez o contrarrelógio da sua vida e bateu toda a concorrência, incluindo Roglic, por 1:56!! Conta feitas, seria um esloveno a vencer o Tour mas era para a UAE que a vitória final sorria.

Uma semana depois tínhamos o campeonato do mundo a correr-se em Imola. Muitos eram os candidatos, onde talvez até os portugueses Rui Costa e Ruben Guerreiro deveriam ser incluídos como favoritos, mas principalmente os heróis do Tour entravam. Alaphilippe, Wout Van Aert e Marc Hirschi estavam em grande forma e poderiam ser sérios vencedores deste mundial. A prova super disputada sorriu ao francês, que com um ataque fulminante deixou toda a gente de pé e sem capacidade de resposta para o alcançar. Um ataque de Alaphilippe a 17kms deixou os franceses eufóricos e o pequeno “Loulou” lá conseguiu vencer uma das provas que mais queria vencer.

O momento mais alto para os Portugueses, que já não vibravam tanto com o ciclismo como este ano, veio com um jovem de 22 anos de seu nome João Almeida, que assumiu a camisola Rosa do Giro d’Itália perante grandes nomes do ciclismo mundial e envergou-a durante 15 dias! O sonho rosa viveu-se durante 2 semanas de forma brutal, com respostas incrível do português, e só num dificílimo Stelvio viu o seu fim, mas mais que isso, João ganhou o respeito do pelotão, e da imprensa, que cada vez mais se surpreendia com o português a cada etapa. Passamos a ter homem para a geral e passamos a não ter adjetivos para qualificar o rapaz das Caldas da Rainha.

Num ano sem Paris-Roubaix, as atenções centraram-se todas no Tour de Flandres. Já se esperava que a decisão fosse entre os homens do momento: Mathieu van der Poel e Wout Van Aert. E ninguém falhou, a luta foi mesmo a dois e foi até ao último centímetro de prova. Os dois fizeram grande parte da parte final da prova sozinhos e mostraram que apenas colaborando com o maior rival é que não se é alcançado pelos restantes. Nos metros finais as duas potências, belga e holandesa, disputaram um lugar no ponto mais alto do pódio, sendo o holandês o mais forte, após mais de 250m ao sprint.

A decisão toca-te a ti uma vez mais! Qual foi o grande momento de 2020?

O período de votação terminou!

Momento do Ano
111 votos

Podes votar também na Revelação feminina de 2020 no link abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock