Melhores do Ano #10 – Um luxo de gregárias!

Tal como nas competições masculinas, e mesmo sendo as provas femininas mais partidas ou mais divididas, também há reboques, aguadeiras e lançadoras de luxo, que sem elas as equipas não brilhariam nem conquistariam as vitórias atrás de vitórias. É nesta categoria que entram Audrey Cordon-Ragot da Trek – Segafredo, Lucy Kennedy da Mitchelton -Scott, Eva Buurman da Boels Dolmans e Alison Jackson da Team Sunweb.

Comecemos a análise por Audrey Cordon-Ragot, a francesa que cumpriu uma temporada espetacular ao serviço da Trek – Segafredo! Nas clássicas de março sacrificou-se pela equipa, e no regresso do confinamento, não desperdiçou a oportunidade de se sagrar campeã nacional, nem de ir fazer um top5 aos Europeus. Teve oportunidade de picar o ponto no Tour sud Ardeche, antes de chegar ao Giro Rosa, onde uma vez mais partiu o pelotão e deixou tudo na estrada por Elisa Longo Borghini! Nas clássicas finais, lá estava Audrey de novo, a liderar o pelotão e a proteger quer Borghini quer Deignan, terminando a temporada com um 19º lugar no Madrid Challenge uma vez mais na defesa e proteção de Borghini.

Lucy Kennedy teve mais um ano de grande importância na equipa da Mitchelton – Scott! A australiana de 32 anos teve a sua oportunidade de vencer no Herald Sun Tour, e conseguiu, mas antes disso esteve em destaque no auxílio a Amanda Spratt no Tour Down Under. No regresso pós-confinamento foi uma vez mais uma grande carta a auxiliar Annemiek van Vleuten, quer nas clássicas espanholas, quer na Strade Bianche, e algum tempo depois no Giro Rosa, e nas clássicas das Ardenas onde fechou a temporada.

Eva Buurman tem sido cada vez mais uma das principais escudeiras de Anna van der Breggen! A jovem holandesa de 26 anos acompanhou a super campeã líder da Boels em quase todas as corridas da temporada, e desempenhou um papel fundamental para os resultados obtidos por Breggen. Desde a Setmana Valenciana antes do confinamento, até às clássicas espanholas, Strade Bianche, GP Plouay, Giro Rosa, Ardenas e Gent – Wevelgem no regresso da temporada, a holandesa não falhou na proteção a Breggen, nem quando teve de puxar na frente do pelotão, tendo sido essencial para os sucessos da equipa!

De lançadora a escudeira, Alison Jackson foi mais uma das gregárias que se destacou durante a temporada de 2020. A canadiana esteve tanto na proteção a Lah Kirchmann e a Liane Lippert, como no lançamento de Lorena Wiebes e Coryn Rivera, e nos dois papeis cumpriu com distinção o que lhe era pedido. O sentido de sacrifício acabou por ajudar a trazer vitórias à equipa alemã, desde logo com Lorena Wiebes, e a garantir a vitória no ranking da juventude UCI por parte de Lippert.

Com as cartas lançadas, cabe-te a ti agora escolher. Quem foi a gregária do ano em 2020?

O período de votação terminou!

Gregário do Ano
44 votos

Podes votar também no melhor gregário masculino no link abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock